terça-feira, 7 de julho de 2015

O dia em que usei mais palavras que um operador de call center




Operador: Boa tarde, fala Tiago Ribeiro da Vodafone, estou a ter o prazer de falar com...

Eu: Boa tarde, Nuno Ferreira.

Tiago: Queria-lhe dar a conhecer uma nova promoção em que talvez possa estar interessado. Vodafone Red por 12.5€ é interessante, não acha?

Eu: Já conhecia, mas não estou interessado porque o preço não me atrai. No meu tarifário actual pago 5 euros e pouco, por isso é uma diferença brutal, não acha?

Tiago: Sim mas as condições são excelentes.

Eu: Acredito mas para o que necessito, aquilo que o meu tarifário oferece, chega-me perfeitamente.

Tiago: Está bem, boa tarde.


Está bem, boa tarde? Qual é o operador de call center que termina uma chamada com Está bem, boa tarde? Até fiquei na dúvida se fui eu que lhe liguei para o convencer de alguma coisa.


Desligou sem me dar tempo de responder, 1 minuto e 5 segundos depois de eu ter atendido. A chamada demorou quase tanto tempo que um pedido para consultar o saldo num local com pouca rede. Até uma criança dá mais luta quando os pais lhe negam o segundo rebuçado. Fiquei triste pelo Tiago mas por muito que ele queira, não está destinado a estar sentado numa secretária em frente a um telefone, um computador, post its de várias cores e um porta canetas que já serve para colocar tesouras.


Tiago, se alguém te disse um dia que podes ser tudo aquilo que quiseres não acredites porque há anos que eu ando a tentar ser um caderno A4 quadriculado e nem um A6 de folhas brancas consigo ser. Um abraço.


Sem comentários:

Enviar um comentário