domingo, 28 de setembro de 2014

Mea culpa.

Caro leitor,
Venho por este meio - não poderia ser outro - pedir as mais sinceras desculpas. Sei que vive para ler o que eu escrevo neste blog.
Sei que sem os meus textos a sua vida faz tanto sentido como trincar uma maçã e descobrir que está lá dentro um afia-lápis, ou como usar um comando de TV para descarregar o autoclismo, ou ainda como abrir uma torneira porque precisa de fazer exercício físico. É por isso que lhe peço desculpa. A minha criatividade tem estado tão forte como o cabelo de um gajo que faz quimioterapia. Mas prometo que vou tentar melhorar para regressar em força.
(Quanto ao gajo que está a fazer quimio não posso prometer o mesmo.)

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Não diria sumir Natália. É só uma pequena pausa para tentar pôr as ideias em ordem. (Isto é outra forma de dizer que estou sem ideias sobre o que escrever)

      Eliminar