domingo, 18 de maio de 2014

Um cigarro electrónico não é assim tão diferente de um dildo.

Os cigarros electrónicos estão para os cigarros comuns, assim como os dildos estão para as pilas.

Ora vejamos:

  • Prazer. Algo que está directamente relacionado com os quatro e com o dia-a-dia da Érica Fontes.
  • Formato. Existem excepções nos cigarros electrónicos mas o formato, em geral, é o mesmo: cilíndrico. Assim como nos dildos, nas pilas e nas alheiras de Mirandela.
  • Sabor. Temos os sabores característicos nos cigarros comuns e nas pilas, presumo. Já nos outros dois há toda uma variedade de sabores porque as pessoas querem fumar o seu cigarro, ou brincar com o seu dildo, e ao mesmo tempo despachar uma taça de morangos. 
  • Doenças. Trocar os cigarros comuns pelos cigarros electrónicos é uma forma de diminuir o risco de contrair doenças, assim como trocar as pilas pelos dildos e a Miley Cyrus por outra pessoa qualquer.
  • Componente social. Sacar dum cigarro electrónico na rua é muito mais tolerável pelos outros porque não liberta o fumo dum cigarro comum. Assim como segurar um dildo na mão em vez duma pila. É socialmente mais aceite. 
E já agora para quem usa os cigarros electrónicos muito cuidado com a nicotina líquida, parece que aquilo é mais perigoso do que casar com o Paco Bandeira. É mesmo.

2 comentários: