sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Demorei algum tempo para arranjar um título para este texto.

Tens 5 minutos? Não, não vou falar da palavra do Senhor. Só se o "Senhor" for eu. Aí já faz sentido. São 5 minutos para falar precisamente da ideia de 5 minutos que nós temos hoje em dia - a subvalorização dos 5 minutos.

Quantos de nós já não fomos completamente enganados na esperança de só ter que esperar 5 minutos por alguém ou por algo? Arrisco a dizer que já aconteceu a todos.
Por exemplo, quando éramos mais novos e nos encheram a cabeça de ideias que quando fossemos a um bar no futuro não precisávamos mais de 5 minutos para sacar uma gaja. Descobrimos depois que não é bem assim. Não é bem assim porque até conseguimos sacar uma gorda. Mas uma gorda é uma gorda. Não conta.
A consequência disto foi desastrosa. Os 5 minutos perderam todo o seu significado. Hoje, se nos dizem que demoram 5 minutos para chegar até nós, não acreditamos porque já não damos o merecido valor que estes minutos merecem. Muito por culpa de quem os usou de forma enganosa.
5 minutos, actualmente, são uma forma de dizer "algum tempo", quando na verdade a expressão correcta a utilizar devia ser precisamente esta última.

Os 5 minutos morreram. (Assim como a moça gorda que engatamos. Se calhar. Li num estudo que a obesidade causa mais mortes que a fome. Por isso é provável.)
O leitor estará a pensar que o mesmo acontece com os 10 minutos - e não estará longe da verdade. Os 10 estão no caminho para lhes acontecer o mesmo. Isto também acontece com os todos múltiplos de 5 mas não de forma tão escandalosa como estes primeiros.
Pior do que isto tudo só quando usam a expressão "5 minutinhos" ou "10 minutinhos". Aí até é caso para rir. E eu se me quiser rir basta-me imaginar um anão a andar numas escadas, seja a subir ou a descer.

Sem comentários:

Enviar um comentário