segunda-feira, 16 de abril de 2012

Algo deve estar errado... Nunca é a mesma coisa nas cidades.

A questão hoje é sobre as cidades. Há manifestações para não encerrarem uma maternidade que por fechar não deixa ninguém na merda e apesar de não ter opinião sobre o assunto em si, acho piada ao frenesim à volta disto.

Quantos serviços de urgência e hospitais é que fecharam neste país e obrigaram a que as pessoas percorressem distâncias enormes? Ligava-se para o 112 e quando o INEM chegava já só vinha declarar um óbito, podem-me dizer que isto foi referido pelos media, de facto foi, mas nunca a este nível. 

O líder de um partido com o qual até simpatizo ( o PCP) disse que o sítio onde nascemos não pode morrer mas a verdade é que isso é o menos importante, o país não vai ficar com um mau serviço de obstetrícia caso a Alfredo da Costa feche mas tem muitos outros problemas e falhas na assistência médica que não são atendidas, que importa que o puto não nasça num sítio diferente, o que importa é que não morramos por não termos hipóteses de ser assistidos medicamente.


Não me importa minimamente com o que acontece à maternidade desde que haja maneira de não perder qualidade nos serviços, penso é que já é altura de olhar o país como um todo e apoiar os casos verdadeiramente graves que por acaso não acontecem nas cidades.

3 comentários:

  1. Se vires bem as coisas o PCP também é contra o encerramento das unidades de saude familiares e a favor do SNS, foi o PCP o partido politico que mais gente mobilizou para as manifestações que aconteceram por todo o pais no dia 14 de Abril pela continuadade do SNS e contra os ataques que estão a ser feitos na área da saude.
    Quanto À Maternidade Alfredo da Costa é realmente inadmissivel em primeiro lugar porque se querem fechar uma maternidade em lisboa nao faz sentido que seja a mais conhecida e que mais partos realiza, em segundo porque se querem restruturar o serviço de obstreticia em vez de fechar deviam era melhorar as condições, e em último pela questao do desemprego, o que vao fazer ao médicos, enfermeiros e auxiliares que trabalham ali? Além de que, embora pareça um motivo sem grande sentido, eu gosto que o hospital onde eu nasci continue activo.

    ResponderEliminar
  2. iPlagiator - Vamos fazer uma manifestação sobre a manifestação.

    Caracóis Dourados - Eu critiquei os media e o argumento do Jerónimo de Sousa, não critiquei o PCP, concordo quando dizer que foi o partido que mais defendeu o SNS. Acho ridícula sim a quantidade de atenção que foi centrada neste assunto e acho que é possível fechar a maternidade, tendo em conta que houve investimento em outros locais e separar o staff pelos outros hospitais evitando despedimentos. Digo isto pela conjuntura actual, em Lisboa há alternativas, ao contrário do grande resto do país. Quanto ao teu último argumento, acho um motivo sem sentido o facto de muita gente lá ter nascido, não se pode basear a oposição a uma decisão por uma razão irracional e emocional. Respeito o que sentes mas neste caso o país atravessa dificuldades e entre cortar em algo que não é absolutamente necessário e cortar em serviços básicos tenho de preferir a primeira.

    ResponderEliminar