sábado, 8 de outubro de 2011

Algo deve estar errado... Os Desafios Sociais

Não tenho jeito para lidar com pessoas, é a verdade. Sei dizer o que penso, sei criar o efeito que quero mas tenho uma dificuldade danada em integrar-me, sempre foi assim.

Isto começa a comer-me a mioleira porque por uma vez na vida eu preferia ter uma voz a dizer-me que vai ficar tudo bem, mesmo que eu saiba que isso é tudo uma treta, do que não ter vozes.
Não me vou por deuses, nem superstições de qualquer género e acho que o destino não passa de uma sucessão de acontecimentos que depois nos limitam o futuro às opções que sobram, mas há sempre escolha, o único problema é que eu não faço as escolhas erradas ou certas, faço as inúteis, acho que todos já passamos por isso.
A única coisa que me torna sociável são os copos ou os psicotrópicos porque me limitam os gostos e eu quero fugir disso mas inevitavelmente vou cair porque preciso de uma morfina qualquer tendo em conta que só sei miserável porque o mundo é feio que se farta.

Depois há as mulheres, e eu não tenho jeito nenhum para mulheres, não sei fingir interesse, não sei fazer um filho da puta de um filme porque só me sinto interessado em mulheres cativantes, engraçadas, teimosas, expressivas, misteriosas, que me façam querer ver mais, sempre mais, que me cravem um lugar qualquer na cabeça e não saiam de lá, um rosto vivo na minha mente, logo, como preciso de reconhecer certo tipo de virtudes a uma mulher não considero justo mentir-lhe e fingir que sou algo mais do que o que realmente sou, porque o que realmente sou é mais uma pedra do chão em vez de um chamariz. É triste, tenho talento talvez na cozinha, talvez na poesia e quem é quer saber? Não toco guitarra, não canto, não sou nenhum Ronaldo e à medida que o meu cartão de visita se torna mais diminuto, que o meu ego atinge tamanhos sub-atómicos eu vou perdendo a confiança que já me foi característica.
 
Se ouvisse isto de alguém diria que é uma tempestade num copo de água,  eu seria pragmático, mas a verdade é que não posso ser, tenho tanta coisa a atolar-me que puro e simplesmente deixo de ser suficiente e tudo passa a ser mais uma coisa para me enterrar.

14 comentários:

  1. O único talento que deves almejar é o de seres tu. E quem gostar de ti como és é que merece que esse sentimento seja retribuído. Acredita que isso é que é o mais importante, porque a partir do momento em que deixas de ser tu para passares a usar uma máscara, mais tarde ou mais cedo fartas-te dela e depois é pior a emenda que o soneto.

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que não sabes fingir. Isso parece-me uma qualidade importante :) Todos temos alturas em que gostamos menos de nós, em que achamos que não valemos uma merda... talvez o segredo seja não sermos tão exigentes connosco. Deixa a vida correr! Não finjas, não faças fretes... tu és assim, és assim e pronto ;) e certamente tens quem goste muito de ti tal e qual como és.

    ResponderEliminar
  3. és assim e depois? devem gostar de ti pelo que és incluindo defeitos ou qualidades, sendo tu uma besta imitadora do rebanho ou um ser super alternativo. não interessa. no dia em que tentares mudar a tua personalidade para agradares alguma miúda, quando caíres na realidade, sentir-te-ás desiludido contigo próprio, por isso mais vale seres tu, e deixares que as pessoas te conheçam e que passem a gostar de ti tal como tu és.

    ResponderEliminar
  4. credo, pareci tão dramática agora -.-

    ResponderEliminar
  5. Não saber fingir é uma qualidade muito considerável =)

    ResponderEliminar
  6. O meu namorado também não toca guitarra, não canta, não joga à bola, não é o jeitosão da aldeia dele ou coisa que se pareça. Por acaso até sabe cozinhar e é altamente viciadão em League of Legends e coisas que tais. Mas é uma óptima pessoa e de quem eu gosto imenso.
    O que importa é que sejas tu mesmo e, quando menos esperares, vai aparecer a tal ^^
    Bjs*

    ResponderEliminar
  7. Primeiro que tudo o resto, achas que estás errado ao "seleccionar" as raparigas que conheces?

    Segundo, eras capaz de te contentar com menos só para não estar sozinho? Ou preferes esperar até encontrares alguém com quem não tenhas de fingir? É que a resposta a isso muda tudo.

    Não vale a pena deixar o ego diminuir de tamanho, não vale desistires de ti próprio! Aí acabas por te rodear só daquelas pessoas que adoram coitadinhos e pelo que tenho visto no teu blog, és tudo menos coitadinho e tens a cabeça no sítio.

    Sabes cozinhar, olha, óptimo! Faz um jantar com alguns amigos ;)

    ResponderEliminar
  8. "A única coisa que me torna sociável são os copos ou os psicotrópicos porque me limitam os gostos e eu quero fugir disso mas inevitavelmente vou cair porque preciso de uma morfina qualquer tendo em conta que só sei miserável porque o mundo é feio que se farta." eu penso de igual forma que tu, e tenho a mesma convicção. mas acredito principalmente em mim e nas minhas origens e nada me fará fraquejar quando eu estiver bem e saber aquilo que eu quero de mim. em relação a esta parte que escreveste: " É triste, tenho talento talvez na cozinha, talvez na poesia e quem é quer saber? Não toco guitarra, não canto, não sou nenhum Ronaldo e à medida que o meu cartão de visita se torna mais diminuto, que o meu ego atinge tamanhos sub-atómicos eu vou perdendo a confiança que já me foi característica", eu tenho a dizer que não é pelo facto de não seres isto, ou não teres talento para qualquer coisa que deixas de ser interessante ou cativante para o outro. haverá algo em ti que tu não dás importância e que os outros o valorizam :)

    ResponderEliminar
  9. Dexter - Eu penso demais o problema esse. Sacar uma gaja é fácil, sacares a que queres, a que vale, aí a coisa complica e tens pouquíssimas oportunidades.

    Estudante - Eu como não quero qualquer uma, tenho o problema de depois não chegar para essa tal endeusada.

    Anna - Eu consigo provocar interesse, mas só me interessa quem não está interessado, gosto de jogar e ultimamente não me ando a sentir com capacidade. Mas obrigado dona dramática.

    M - obrigado.

    Nightwish - O meu problema não é arranjar alguém, isso é fácil, é arranjar quem quero.

    Afal - Não, não era.E por acaso já fiz xD

    Nádia - Gosto de acreditar no que dizes.

    ResponderEliminar
  10. Então pronto, é isso que interessa ;) conheceres-te e saberes o que queres não é mau. Dificulta as coisas, mas também...quem é que gosta das coisas fáceis? :p

    ResponderEliminar
  11. Se arranjar quem queres fosse fácil, então era igual a "sacares uma gaja".
    Não acredito em tal coisa com "não chegar para essa tal endeusada". Acredito que para A tal pessoa da vida, não só chegamos como somos tudo e mais alguma coisa.
    Tiros ao lado? É o que mais há (join the club). Gosto de pensar que quando damos tiros ao lado é porque na verdade até era melhor não acertarmos. Treina a pontaria [sem desanimar] que um dia acertas em cheio :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Já agora, isso de cozinhares é top! Eu nem isso (em condições) faço :D

    ResponderEliminar
  13. Se fores tu mesmo, gostará de ti quem te compreender.

    E o objectivo não é vivermos rodeados de quem nos compreende?

    ResponderEliminar