terça-feira, 26 de julho de 2011

Algo deve estar errado... Deficiências Mentais

Sempre achei graça quando uma mãe diz que os filhos têm mais graça quando são pequeninos (os pais costumam antes dizer, foda-se lá para os putos) .


  •  As progenitoras por vezes falam da falta que sentem de alimentar os miúdos, limpá-los, levá-los a passear e essas coisas todas que são muito semelhantes a ter um animal doméstico, porque no fundo assentam na vulnerabilidade do puto.


Até aqui tudo bem.
O que eu não compreendo é o porquê de toda a gente ficar chateada quando tem um filho com uma deficiência mental incapacitante.

"Ele já tem 20 anos e sou eu que tenho que lhe dar de comer, que lhe dar banho, que o levar à rua porque ele é incapaz de fazer as coisas sozinho". 
Não é esse o sonho?
Um gajo de 20 anos que é no fundo um bebé?

É vulnerável, podes ser mãe a tempo inteiro, não era o teu desejo? Porque é que te estás a queixar? Porque é que se é uma alegria ter filhos e os amas inegavelmente, ainda dizes que sentes que foi uma cruz que deus te deu levares com um filho deficiente?


Devias estar contente, podes mudar-lhe a fraldinha e limpar-lhe o rabinho em vez de fingires que não te sentes miserável por o teu filho ser assim e que eras incapaz de o trocar quando tudo em ti indica exactamente o contrário.

Algo deve estar errado senhoras donas mamãs.

6 comentários:

  1. Na vida tudo tem o seu tempo. Há o tempo para ser bebé e o tempo para ser crescido. As mães certamente têm saudades dos filhotes pequeninos mas isso não quer dizer que não queiram vê-los crescer e ser independentes... não é ter um filho deficiente que vai colmatar as saudades de um bebé! Acho que deve ser até muito triste ver que o nosso bebé vai continuar a precisar de nós o resto da vida... uma coisa não tem nada a ver com a outra.

    ResponderEliminar
  2. Estudante - Concentraste-te no acessório. Isso é apenas uma tentativa de gozar com uma situação bem mais dura, mães que se queixam dos filhos deficientes que não têm mal nenhum em ser assim, mas que deviam ser doutra maneira, essa hipocrisia, eu só abordei a questão pelo lado vazio para que o outro lado fosse abordável.

    iPlagiator - Nesse caso lê a resposta para a estudante.

    Calipso - Não chames god para isto que já tenho a minha quota parte com esse senhor.

    ResponderEliminar
  3. Confesso que tive de ler o teu texto mais três vezes para poder responder ao teu comentário x)Parece que interpretei mal o que querias dizer, é isso? No fundo, estás contra o facto de as mamãs não manterem a coerência relativamente ao facto de gostarem de tratar dos seus meninos vulneráveis quando se trata de meninos vulneráveis por deficiência aos vinte anos de idade? Que defendem que a criança deficiente é igual às outras, mas no fundo sentem-se castigadas por ter um filho assim... é isso?

    ResponderEliminar
  4. exactamente, tentei foi transmitir-lo duma forma escanifobética.

    ResponderEliminar