domingo, 17 de julho de 2011

Algo deve estar errado... CENSU...RA 2011

Ora eu sou um idiota!

Ando aqui a dizer que provocar desemprego, encurtar o PIB, cortar nas famílias e eventualmente reduzir o poder de compra é terrível a longo prazo e vai levar este pequeno país outra vez para o Fundo (Monetário Internacional). 


  • Sou bastante estúpido afinal porque eles dizem que estamos a exportar mais.


Então eu respondo que não adianta exportar mais quando o produto nacional não é comprado pelo próprio país.


  • Mas bloqueiam-me dizendo que todas as opções foram consideradas e que só se tem é que cortar no trabalhador para que a economia role como deve ser e o país volte ao que era.


Só que eu insatisfeito ainda digo que há outras opções como aumentar mais o IVA nos bens de luxo, cortar nas pensões mais altas em vez de afectar essencialmente as famílias da classe média (não as do José António Saraiva que deviam andar de Mercedes Classe C em vez de um Classe E para poupar e que deviam beber Murganheira em vez de Dom Pérignon, as de classe média mesmo), investir mais na agricultura e nas pescas e criar apoios para que o produto nacional seja mais barato e acessível aos consumidores nacionais (temos sol quase o ano todo e mar até dizer chega), apostar numa agricultura/piscicultura ecológica que preze pela qualidade e torne este país numa referência internacional, apoiar as PME's que criam emprego e geram riqueza, apoiar as novas ideias dos jovens empresários.


  • Mas dizem-me que sonho com uma utopia, acusam-me de ser louco por querer um país que não existe. 


A minha resposta é muitíssimo simples. Se fomos um Império enorme graças à ousadia de alguns e hoje somos pequeninos graças ao conformismo de muitos então a escolha lógica é ser ousado e não conformista, ser louco assim é deveras gratificante.




E é assim que nos censuram, descredibilizando-nos, chamando-nos inocentes, sonhadores e eu que sou um mero reaccionário que sonha demais pergunto-vos:


  • Quantas vezes é que deram por vós a não saber o que dizer sobre este país?
  • Quantas vezes encolheram os ombros quanto ao rumo desta nossa terra?
  • Quantas vezes quiseram que isto virasse?
  • Quantas vezes vos tentaram fazer pensar que não há nada a fazer?
  • Quantas vezes quiseram dizer não?

"Há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz não!"


Vamos ser esse alguém, está na hora de nos fazermos ouvir, seja no café, no emprego, numa escola, não deixem que vos calem, pois a inquietação tem de começar de algum lado, vamos para as ruas gritar, vamos fazer petições, porque Portugal é dos portugueses, não da UE nem da Troika!

Algo deve estar errado contigo Portugal, acorda!

PS: O link para o notícia do José António Saraiva do Sol. Pude ter o gosto de ler este lixo jornalística graças à Lyn. Vale a pena ler, nem que seja para rir.

http://sol.sapo.pt/inicio/Opiniao/interior.aspx?content_id=22108&opiniao=Pol%EDtica%20a%20S%E9rio
(A cor não mudou mas basta clicar no que diz em cima)

15 comentários:

  1. Fosse só em Portugal isso. No Brasil sofremos com a roubalheira dos deputados que deveriam nos representar. Acho que vcês devem reinvindicar, sempre :)

    ResponderEliminar
  2. e, há que referir, que chega de sermos uma geração á rasca !
    tens espirito de revolucionário.

    ResponderEliminar
  3. Natália: São dois enormes países, mas vocês têm de se cuidar, os gatos gordos andam todos a cheirar e depois o Brasil crescerá tão intensivamente que pode perder muitas outros factores importantes. O Brasil é vosso não do dinheiro, lutem por isso que nós por cá lutaremos também.

    Anna: Só somos à rasca se deixarmos. Quanto ao meu espírito revolucionário não sei que te diga, apenas quero um futuro melhor e isso não me parece que vá acontecer se continuarmos por este "caminho certo".

    ResponderEliminar
  4. Estudante:

    Já dizia o meu avô - Falas assim e um dia talvez acabes na cadeia. XD

    ResponderEliminar
  5. sim só somos à rasca se deixarmos. infelizmente a maioria deixa, proque se sente "à rasca" -.- (cambada de lorpas é o que é). se formos por esse "caminho certo" bem que não saímos da cepa torta >.<

    ResponderEliminar
  6. Vou ser sincera: talvez devesses liderar uma manifestação com estas medidas. Está muito interessante, parabéns João!

    ResponderEliminar
  7. Também já fui muitas vezes acusado de ser lunático! Só para informar os desinformados deixem que vos diga que Portugal, antes da dita crise económica internacional, comprou dívida a vários países europeus (aproximadamente 55mil milhões)! Deixem também que vos diga que vendendo metade dessa dívida resolveria (infelizmente a curto-prazo) os problemas de pobreza em Portugal. As desculpas que nos dão para não vendermos a dívida dos outros países é que essa dívida nos próximos 10 anos vai render em juros aproximadamente 5mil milhões! Pois bem meus caros a minha pergunta é: para quê esperar 10anos para fazer 5mil milhões quando podemos fazer 55mil milhões num dia???? Claro que eu sou inocente ao ponto de achar que os nossos problemas se resolveriam todos a vender capital externo, mas pensem bem na pergunta que vos fiz! Desculpem lá os meus possíveis erros de português mas tive de escrever esta mensagem um pouco à pressa!

    ResponderEliminar
  8. Eu, que sou economista, concordo em quase tudo!

    ResponderEliminar
  9. Eu, que sou economista, concordo em quase tudo!

    ResponderEliminar
  10. Anna: Não adianta manifestarmos-nos de ânimo leve, porque é fixe quando não oferecemos ideias novas, não adianta ir tanta gente a uma manif e nas legislativas haver uma abstenção de 43%. É preciso um grito de revolta daqueles que estão fartos que este país seja uma das prostitutas de Europa e é preciso que ouçam essa vozes porque há alternativas, complicadas sim mas no entato não exequíveis.

    ResponderEliminar
  11. Daniela: Não ponho de parte essa opção, não como líder mas como um dos que marchará, não é preciso líderes de um povo em uníssono.

    José Nuno: Desconhecia esse facto mas se o objectivo é ganhar 60milM em vez de agora garantir 55milM numa altura de aperto é de facto estúpido. Agora imagina parte desse dinheiro direccionado para o investimento na produção e no crescimento económico e o resto a encaixar directamente nos cofres do estado, já não seria preciso fazer tantos cortes que danificam gravemente os portugueses e o seu poder de compra.

    Filipa Arez: É um honra saber isso.

    ResponderEliminar
  12. Obrigado pelo caloroso "welcome"!! A Vânia e o Zé Pedro falaram-me muito bem do teu blogue então decidi vir ver! Gosto muito! Keep it coming!

    ResponderEliminar