domingo, 12 de junho de 2011

Algo deve estar errado... O meu lindo chaço!

Algo que eu sempre considerei engraçado é o amor que as pessoas têm por carros antigos, diga-se chaços, porém, após algum tempo, tirei a conclusão que eles não são assim tão atrasados mentais porque nessa realidade também eu seria.  Claro que todos gostamos de um carro confortável, que limpa os vidros automaticamente e que se preocupa connosco quando não pomos o cinto de segurança, mas há algo nos carros antigos que ainda suplanta toda essa tecnologia.

Os chaços têm personalidade.

Não, não digo como o Herbie, mas a verdade é que quando olho para o meu Golf II GTD ele parece que fala comigo, quando entro e ouço aquele arrancar soluçante de quem acabou de acordar, eu identifico-me com ele, pareço eu antes de sair de casa.

Os chaços surpreendem sempre.

Num carro recente não é novidade que quando vai a 140 ou mais quase não se sinta, agora num chaço quando se puxa por ele e ele vai ali na boa, sem se queixar, não berra, é confortável, quase como se o seu propósito fosse andar depressa, eu sinto-me surpreso e feliz pois nunca pensei que o bicho andasse assim.


Por estas razões eu também sou um desses gajos esquisitos que ama o seu chaço.


PS: Apesar desta treta toda, mal possa troco-o por um melhor!

4 comentários:

  1. Os chaços provocam saudosismo porque fazem parte da nossa história! Sejam momentos bons ou menos bons, quase todos nós temos algo a contar que inclui o monte de sucata. E se alguns falassem...:)

    ResponderEliminar
  2. Durante anos andei com um Renault 19 verde garrafa que mais parecia saído do Kosovo em tempos de guerra. Não podia parar em filas nem em locais onde houvesse muito trânsito, porque nem a ventoinha nem o termostato trabalhavam, o que significa que o casso entrava muito facilmente em sobreaquecimento.

    O positivo disto tudo é que fez com que passasse a conhecer Lisboa como a palma da minha mão...assim que o carro começava a fumegar, tinha que arranjar uma rota alternativa o mais rápido possível antes que o bicho ficasse para ali parado.

    Bons tempos.

    ResponderEliminar
  3. Eu também já tive um chaço que adorava!
    Além de personalidade tinha história o bicho… gargalhadas, noitadas, viagens com amigos, acidentes, uma lista quase sem fim :)
    Só não posso dizer que nunca me deixou mal porque me deixou no caminho algumas vezes e nos últimos meses de vida andava no mecânico semana sim semana não :(
    Tinha a minha idade mas só esteve comigo 4 anos (entre os 18 e os 21) antes disso foi da minha mãe, já em segunda mão, e da minha irmã mais velha. Quando foi para abate quase chorei.
    Saudades do meu Pegeot 309!

    ResponderEliminar
  4. Senhor Geninho: Proporcionam momentos telepáticos e boas histórias, uma nostalgia permanente.

    Dexter: Uma boa história lá está. Se fosse um Renault Megane dos nos novos não tinha tanta graça. Era melhor, mas com menos poesia.

    Caracóis Dourados: Peugeot 309 o chaço clássico. Outra coisa que nos faz bem ao ego é o facto se ser possível termos sempre um carro melhor, porque não é difícil.

    ResponderEliminar