sábado, 9 de junho de 2012

Algo deve estar errado... Ensino Privado/Público



Portugal é um país justo! Viva o ensino!

Vamos falar do ensino secundário:

  • Quem tem dinheiro vai para o ensino privado. Quem tem menos dinheiro vai para o ensino público.
  • Quem tem dinheiro e vai para o privado tem na generalidade melhores professores. Quem tem menos dinheiro vai para o ensino público.
  • No ensino privado os alunos mais independentes são rebeldes. No ensino público os alunos mais independentes são criminosos.
  • No ensino privado os lambe-botas são apenas alunos. No ensino público os lambe-botas são alunos responsáveis.
  • No ensino privado o estatuto social da família exerce pressão sobre os professores tornando-os fantoches. No público depende da maneira como o aluno/a lambe-botas ou responsável faz a coisa (reforço do ego, submissão e em último caso favores sexuais), claro que os pais também exercem pressão mas é diferente do privado, aqui os professores coagem apenas para não os ter que ouvir mais.
  • No ensino privado quem tem notas para um determinado valor, tira dois ou três (valores) acima (pagaram logo é justo). No ensino público há justiça*. 

* Justiça (definição): Dicionário francês: Principe moral qui exige le respect du droit et de l'équité.
                                Dicionário português: Princípio moral que exige respeito à lei e equidade principalmente se fores pobre ou preto.


A lógica desta merda:

Ao exponenciarem as notas conseguem freguesia, assim mais dinheiro para os bolsos de alguém e criamos uma fornada de excelentes alunos com médias perfeitas. 
A malta do ensino público. Bem esses que se fodam porque por muito geniais que sejam falta-lhes sempre aquele empurrãozinho, o dinheiro.

Algo deve estar errado e a culpa não é minha!

14 comentários:

  1. Epá... sem tirar nem pôr. É mesmo isto.

    ResponderEliminar
  2. E isso depois continua! Acabas o curso numa faculdade pública à rasca para pagar as propinas e o primeiro pensamento que tens é de arranjar trabalho para ter dinheiro e tentar começar uma vida independente.

    Pois é isso que começas a fazer, mas como o ordenado miserável que te pagam não dá para nada, não consegues fazer um upgrade ao teu currículo, já que pós-graduações e mestrados são coisinhas para custar entre €2500 e €6000 (e há-os mais caros!).

    Assim, enquanto andas a estoirar o coiro a trabalhar para poderes pagar as continhas de casa, sem perspectivas de subires na carreira, andam os meninos de couro a fazer um ano de férias para tirar o mestrado XPTO em Londres, pago pelo papá. E quando voltar a Portugal, já tem um gabinetezinho forrado a ouro à espera.

    É a nossa triste realidade.

    ResponderEliminar
  3. Nunca deves generalizar. No ensino privado os alunos não são todos como tu os estás a descrever aqui. E em relação às notas que, segundo o que dizes, são inflacionadas, basta comparar as médias dos exames nacionais entre uma escola pública e uma privada. As escolas privadas ficam sempre (muito) à frente das escolas públicas no ranking. Como é que se explica isto? Ou será que os alunos das privadas fazem um exame nacional mais fácil? ;) Pois...

    ResponderEliminar
  4. Pior seria que os alunos do ensino privado, em menor número, com turmas de tamanho reduzido, vindos de famílias acima da média com posses para pagar explicações, etc, não tivessem em média melhores notas que os alunos do ensino público. Só que a disparidade de médias não se explica com a diferença dos exames nacionais, e isso é o que o autor deste texto, e muito bem, realça.

    ResponderEliminar
  5. Dexter : Eu nem quis entrar por aí, tens toda a razão, o pior é que esses é que se tornam nos grandes nomes ao invés do comum dos mortais que é completamente devorado pelos senhores de nome influente que se tornam nos magnatas do que quer que seja.

    Rita: O "Louco" respondeu-te muito bem, não te esqueças que quem vai para os colégios não são os Zecas que querem ser mecânicos, são os Júlios que querem ser patrões. Todos podemos tentar fechar os olhos mas a realidade é esta, as notas são de facto inflacionadas e apesar de eu já ter apresentado a justificação das elites e o "Louco" já ter dito quase tudo o que há para dizer ainda tenho uma história que leva isto tudo para um nível ainda mais claro:
    O Santa Clara faz os exames numa pública porque foram apanhados a dar respostas aos alunos.
    Até te dou uma imensidão de exemplos se quiseres é só pedires. Eu aceito a tua opinião da mesma maneira que aceito que me mintam, não aceito, sabes bem que não é assim e que há vários factores que justificam as notas dos exames, não justificam é as médias ou a relação média/exame.

    Louco: Subscrevo e agradeço.

    ResponderEliminar
  6. Desculpa "Estudante", não te vi, parece que afinal não estou assim errado. Pois...

    ResponderEliminar
  7. Ok, respeito a vossa opinião. Mas acho que só experimentando o ensino privado é que podem ter uma verdadeira ideia acerca de como ele é. Eu estudei muitos anos numa escola pública, conheço muito bem as condições de estudo e aprendizagem, bem como a facilidade/dificuldade com que os professores dão as notas aos alunos. Há três anos, mudei para o ensino privado e pude confirmar a disparidade de diferenças entre os dois ensinos. Mas, ao contrário do que possam pensar, e tendo como base a minha experiência no estabelecimento de ensino que frequento, achei que as notas injustas provinham do ensino público. Não são as notas dos alunos das privadas que são inflacionadas. Os alunos das escolas públicas é que têm notas injustas, abaixo daquilo que eles realmente merecem. Senão, atenta neste exemplo, João: uma amiga minha estudava numa escola pública que tu muito bem conheces. A matemática, no primeiro período, teve 18 e 19 nos testes. Chegou ao fim do período e a professora deu-lhe 17. Ela bem reclamou, mas segundo a professora “nenhum aluno tinha mais do que 17 no 1º período”. Numa escola privada isto jamais aconteceria!

    Mas pronto, isto é a opinião de alguém com muita sorte que estuda numa escola privada e, só mesmo por isso, é que tem boas notas. Não me levem a sério… Eu sei lá o que digo! ;)

    ResponderEliminar
  8. Se eu não posso falar porque não estudo no privado e tu não falas porque estudas no privado então ninguém fala. Eu também critiquei a "justiça" aplicada na pública portanto essa não cola. Explica-me como é que alguém a estudar num privado tira 14 a Matemática com notas para 9? É justo? Onde? Eu critiquei as públicas da mesma maneira que critico a privada. As públicas são injustas e os colégios levam ao colo, quem disser o contrário é mentiroso.

    ResponderEliminar
  9. At the end of the day, it's all about the money!

    ResponderEliminar
  10. Senhor Geninho: A mais pura das realidades. É pena realmente.

    ResponderEliminar
  11. Dinheiro comanda o mundo... quem o tem safa-se, quem não o tem lixa-se. Enfim.

    ResponderEliminar
  12. Eu sempre estudei no ensino público e não acho que a forma de ensinar depende do tipo de ensino. Depende é do tipo de professores. Tenho colegas que andaram no ensino privado toda a vida e quando se entraram para o secundário no ensino público não estavam preparados para o nível de exigência.
    Nunca mostrei interesse em andar no ensino privado e acredita que se eu vier a ter possibilidades económicas acima de média e a possibilidade de por os meus filhos no ensino privado isso não vai acontecer. Ensino público é que é porque ao menos fazem as coisas com justiça e não andam à espera de receberem um extra para passaram os alunos.

    ResponderEliminar
  13. Sempre estudei no ensino público e nunca senti que o meu conhecimento fosse inferior ao daqueles que vinham do privado. Tive muitos colegas que, vindos do ensino privado, terminaram o secundário comigo e posso dizer-te que vinham mal preparados. Se isso é geral ou não, não te posso dizer. Mas lá que as notas pendem mais para o lado de quem tem dinheiro, isso não há dúvida nenhuma.

    ResponderEliminar
  14. eu estudei um ano no privado, estava bastante mais bem preparada do que qualquer um dos meus colegas e via frequentemente as minhas respostas/justificações serem desvalorizadas "porque os métodos eram diferentes", o que só por si era uma estupidez. nunca fui beneficiada a nível nenhum xD
    acho que isto não é caso para generalizações, há escolas boas e escolas más. aquilo que o louco disse... epá, ele disse tu-di-nho.

    ResponderEliminar